i
Français | English | Español | Português

Europa Desporto

Mornar Bar não escorregou
www.maisfutebol.iol.pt | 07-12-2017
O município vai investir 26 milhões de euros em equipamentos desportivos até 2021.
www.publico.pt | 26-11-2017
Notícia confirmada pela Agência Lusa este sábado.
www.maisfutebol.iol.pt | 26-11-2017
Lisboa foi eleita Capital Europeia do Desporto 2021, revelou este sábado à agência Lusa o vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Duarte Cordeiro, na sequência do anúncio feito pela European Capitals and Cities of Sport Federation (ACES Europe).
feeds.jn.pt | 26-11-2017
O município é candidato a Capital Europeia do Desporto
www.publico.pt | 24-11-2017
O pavilhão Multiusos volta a engalanar-se para receber, neste sábado, a partir das 21 horas, mais um evento da programação da Cidade Europeia do Desporto, promovido pela autarquia local.
feeds.jn.pt | 23-11-2017
Cinco adeptos do AC Milan sofreram ferimentos ligeiros em consequência de confrontos com adeptos do AEK Atenas numa estação de metro na capital grega, duas horas antes da partida da Liga Europa de futebol entre ambos.
feeds.jn.pt | 03-11-2017
O Sporting de Braga garantiu um importante ponto nas contas do grupo C da Liga Europa de futebol, com um empate 1-1 na visita ao Ludogorets, da Bulgária, conseguido já na parte final.
feeds.dn.pt | 02-11-2017
Vem aí um fim de semana de futebol internacional com muito que ver. Há grandes jogos por essa Europa fora, três deles a envolver precisamente os clubes que irão defrontar as equipas portuguesas na Liga dos Campeões. E ainda a decisão do Mundial sub-17
www.maisfutebol.iol.pt | 27-10-2017
Leões são o clube português que formou mais jogadores a atuar nas principais 31 ligas europeias, segundo estudo do Observatório do Futebol do CIES
feeds.dn.pt | 23-10-2017
Com a melhor média entre as cinco principais ligas europeias, esta temporada repete o que se passou na última. Uma nova geração de treinadores está a mudar a face do calcio
feeds.dn.pt | 21-10-2017
Primeira jornada da Taça da Europa
www.maisfutebol.iol.pt | 19-10-2017
O Benfica é o quinto clube na Europa com mais golos nas competições europeias de futebol, com 655 golos em 405 jogos disputados, só atrás de Real Madrid, FC Barcelona, Bayern Munique e Juventus.
feeds.jn.pt | 13-10-2017
Vitória sobre a Sérvia na final
www.maisfutebol.iol.pt | 18-09-2017
Eslovenos derrotam sérvios na final em Istambul.
www.publico.pt | 18-09-2017
O avançado português André Silva fez três golos na vitória do AC Milan, esta quinta-feira, no campo do Áustria Viena, por 5-1, na primeira jornada do grupo D da Liga Europa de futebol.
feeds.jn.pt | 15-09-2017
A marca do futebol nacional está presente em todo o planeta, mais concentrada na Europa, como é natural, mas depois estende-se até ao Médio Oriente, passa pelo Pacífico para chegar ao continente Americano. Confira a lista completa.
www.maisfutebol.iol.pt | 12-09-2017
Associação Europeia de Clubes distinguiu também o Real Madrid, o Aberdeen e o Mónaco.
www.publico.pt | 04-09-2017

A Liga de Futebol da Espanha (LFP) pediu à Uefa que investigue o Manchester City devido às regras do Fair Play Financeiro, e apoiou a decisão da confederação europeia

O post Liga espanhola pede que Uefa investigue City por Fair Play Financeiro apareceu primeiro em Jornal Correio do Brasil.

A Bélgica, vencedora na Grécia por 2-1, é a primeira seleção europeia a conseguir o apuramento para o Mundial de futebol de 2018, num dia em que a França foi humilhada, ao empatar em casa com o Luxemburgo.
feeds.jn.pt | 03-09-2017
Janela mais inflacionada da história confirma uma nova realidade na indústria do futebol
Suecos do Ostersunds FK têm um programa cultural que desafia os jogadores a expressarem-se e com isso serem melhores futebolistas. Em cinco anos subiram do quarto escalão à Allsvenskan
www.maisfutebol.iol.pt | 25-08-2017
Ministro de Esportes da República Islâmica afirmou que Ehsan Hajsafi e Masoud Shojaei não defendem mais a camisa do país depois de jogarem na semana passada uma partida da Liga Europa por seu clube, o Panionios, da Grécia, contra o Maccabi Tel-Aviv
O internacional português Cristiano Ronaldo está entre os convocados do Real Madrid para a Supertaça Europeia de futebol, que os espanhóis disputam na terça-feira com o Manchester United, de José Mourinho.
feeds.jn.pt | 07-08-2017
Em apenas sete anos, o Östersund passou da IV Divisão sueca a clube sensação nas provas da UEFA onde está muito perto de discutir o acesso à fase de grupos da segunda competição europeia
www.publico.pt | 28-07-2017
O Sporting de Braga, que empatou na Suécia com o AIK (1-1), e o Marítimo, que na Bulgária não saiu do 'nulo' com o Botev Plovdiv, conseguiram bons resultados na terceira pré-eliminatória da Liga Europa de futebol.
feeds.jn.pt | 28-07-2017
O Campeonato da Europa começa amanhã, na Holanda, e a estreia de Portugal decorre na quarta-feira. “Queremos sair com o sentimento de que demos tudo em campo”, diz a capitã
www.publico.pt | 15-07-2017
Recorde o dia mais importante da história do futebol português
www.maisfutebol.iol.pt | 10-07-2017
Triunfo por 8-5
www.maisfutebol.iol.pt | 09-07-2017
O selecionador nacional de sub-21, Rui Jorge, acredita que o embate de terça-feira, entre Portugal e Espanha, da segunda jornada do grupo B do Campeonato da Europa da categoria, será "um grande jogo de futebol".
feeds.dn.pt | 19-06-2017
A Federação Portuguesa de Futebol publicou, esta sexta-feira, um vídeo do regresso da equipa das quinas ao hotel, em Kazan, onde é bem visível o entusiasmo que os adeptos russos têm pela equipa campeã europeia.
feeds.jn.pt | 16-06-2017
João Marques é treinador do futebol feminino e do futebol de praia do Sp. Braga. Teve duas finais em simultâneo, foi campeão à distância mas predominaram as lágrimas
www.maisfutebol.iol.pt | 13-06-2017
A mudança de André Silva para o Milan é já uma das grandes transferências da história do futebol português. Não apenas pelos valores comunicados, mas também por estarmos a falar de um ponta de lança, coisa rara.  Além disso, reforça uma tendência, a valorização crescente de jovens jogadores portugueses nos grandes clubes da Europa.
www.maisfutebol.iol.pt | 13-06-2017
A sexta jornada da fase de qualificação europeia para o Mundial2018 de futebol foi hoje isenta de novidades entre os favoritos nos três grupos em competição, excetuando a Inglaterra, que resgatou um ponto na Escócia já nos descontos.
feeds.jn.pt | 10-06-2017
Juventus e Real Madrid decidem a Liga dos Campeões, neste sábado, a partir das 15h45 (de Brasília), na cidade de Cardiff, em confronto de superlativos. Tanto em âmbito individual quanto no aspecto coletivo, a principal competição europeia vai acabar no País de Gales com a coroação de quem já está consagrado no futebol. Tudo sob os olhares do mundo, pois a partida vai ser transmitida para aproximadamente 200 países. [Leia mais...]
atarde.uol.com.br | 03-06-2017
O Monaco fez grande temporada na Europa, sendo campeão francês e chegando à semifinal da Liga ...
www.terra.com.br | 25-05-2017
Vinte e um anos depois da geração que lançou para o futebol nomes como Van der Sar, Davids, Seedorf, Frank e Ronald De Boer, além de Kluivert, o Ajax está novamente em uma decisão continental. [Leia mais...]
atarde.uol.com.br | 24-05-2017
Descer de divisão na época em que se joga competições europeias não é caso único no futebol português. O ex-lateral Pedro Henriques explica ao Maisfutebol essa experiência, que já viveu por duas vezes
www.maisfutebol.iol.pt | 24-05-2017
José Mourinho pode, na quarta-feira, em Estocolmo, conquistar o quarto título europeu da sua carreira, desta vez com o Manchester United, na final da Liga Europa de futebol frente ao Ajax, que está de regresso à ribalta.
feeds.dn.pt | 22-05-2017
Relatório da OMS destaca pouca actividade física entre adolescentes portuguesas.
www.publico.pt | 17-05-2017
Aos 22 anos, o zagueiro Gabriel conquistou seu espaço no Atlético-MG e hoje é titular absoluto da equipe de Roger Machado. Destaque na campanha do título mineiro e homem de confiança do treinador, ele já começou a receber assédio do futebol europeu, mas, ao menos momentaneamente, garantiu que seu desejo é permanecer no clube mineiro."Isso é reconhecimento do trabalho. A gente fica feliz. Mas minha cabeça está só no Atlético-MG", garantiu nesta quarta-feira. "Prefiro ficar agora. [Leia mais...]
atarde.uol.com.br | 11-05-2017
O Conselho da Fifa aprovou nesta terça-feira, em uma reunião realizada em Manama, no Bahrein, uma série de mudanças em diversas frentes do futebol. Entre elas, a entidade decidiu alterar o formato do prêmio dado anualmente ao melhor jogador do mundo e passará a analisar o período que define a temporada europeia, ao invés do desempenho dos atletas no ano.A entidade confirmou a mudança momentos após o fim da reunião. [Leia mais...]
atarde.uol.com.br | 09-05-2017
A iniciativa "Trail e Caminhada - Caminhos de Mellares" levou cerca de 450 apaixonados pela natureza e pelo desporto a Melres, Gondomar, sábado à noite. A 4ª edição do evento insere-se no âmbito de Gondomar - Cidade Europeia do Desporto 2017.
feeds.jn.pt | 08-05-2017
Uma lua brilhante, embora encoberta pelas nuvens, e uma pequena lanterna frontal foram os guias dos cerca de 450 atletas que, na noite de sábado, participaram no trail e caminhada dos "Caminhos de Mellares", em Melres, organizada no âmbito de Gondomar da Cidade Europeia do Desporto 2017.
feeds.jn.pt | 08-05-2017
Estudo do Observatório do Futebol tem por base a média que cada jogador permanece no clube
www.maisfutebol.iol.pt | 06-05-2017
A convocatória de Portugal para o Mundial de sub-20 poupou nas surpresas e escolheu jogadores já com percurso nas seleções jovens. Alguns deles com largas dezenas de jogos e entre eles seis campeões da Europa de sub-17. Um olhar para a primeira de várias listas antes de três meses de muito futebol de seleções: da Taça das Confederações ao Europeu de sub-21, passando pelo Europeu sub-19
www.maisfutebol.iol.pt | 03-05-2017
Morreu nesta quinta-feira, em Curitiba, o jornalista e publicitário João José Werzbitzki, conhecido como JJ. Ele tinha 66 anos e era torcedor fervoroso do Atlético. O velório está ocorrendo na Capela Vaticano.

JJ foi ainda professor e mantinha um concorrido blog, em que postava comentários sobre os mais diversos assuntos, incluindo futebol e, especialmente, Atlético. Assim como seu pai, Onha, foi goleiro dos juvenis do Atlético.

"O JJ tinha uma ligação intrínseca com o Atlético. Tinha até hoje sua carteirinha de atleta. Sempre que possível, nos últimos tempos, ia ao jogo. E era um analista e crítico do time, das instalações e da escalação. Mas fazia isso pelo excesso de amor, pois vibrava muito com as vitórias. Uma pena, perdi não apenas o amigo, mas um parceiro de jogos no Joaquim Américo", relata o amigo Bernardo Bittencourt.

Werzbitzki foi também um assíduo colaborador do espaço Fala, Atleticano, da Furacao.com. Ao longo de mais de uma década, escreveu mais de 80 artigos sobre o Atlético. Confira os textos:

2006 - O sucesso do Atlético na Europa
2007 - Jantei com o Milton Neves
2007 - Sou Atlético. Não sou CA Paranaense
2007 - "Fanáticos"
2007 - Crianças atleticanas?
2007 - Picuinha? � do Atlético a picuinha com seus sócios
2007 - Contrato leonino? Somos obrigados a aceitar?
2007 - Ficaremos sem a Copa do Mundo, por culpa dos nosso...
2007 - Nosso líder pela Copa do Mundo
2008 - 20 mil sócios, agora!
2008 - O Atlético e a Imprensa
2008 - O Atlético e a Imprensa - Cumplicidade de interesses
2008 - Superar a nós mesmos
2008 - Cornetas do Apocalipse
2008 - Atlético mais forte depende de nós
2008 - Rocky Balboa
2008 - Não pode amar o Atlético!
2008 - Não podemos nos entregar
2008 - Vergonha?
2008 - Engraçado, se não é triste. Muito estranho
2008 - Identificar o "homem" da bala
2008 - Renasce a esperança
2008 - O presente de aniversário do Furacão
2008 - Evengelino: foi-se um grande advesário
2008 - Os "bomfins" que fiquem de fora
2008 - Sem generalizações, Bomfim
2008 - Cobrar pelas transmissões é justo
2008 - Torcer...é torcer a favor
2008 - Cocoxas e a Galinha Azul
2008 - Crítica ao texto do Sr. Zoroastro do Nascimento
2008 - Um clube de futebol, sim; o Atlético Paranaense
2008 - Medo de perder e coragem de ousar
2008 - 'Pé-de-pato Mangalô, 3 veis'
2008 - Um time de bravos
2008 - Antes
2008 - Lei Seca: tim tim!
2008 - E olha que o Kamali nem jogou ainda!
2008 - Crônicas de um torcedor - Timão - não custa tirar mais um sarrinho!
2008 - A nossa união faz a força do Atlético
2008 - Não! Por todos nós, atleticanos
2008 - Quando um time é um time de verdade
2008 - Inédito é ficar chorando, sem lutar mais.
2008 - Duas vitórias
2008 - Somos todos atleticanos
2009 - Não é hora de desunião
2009 - Precisamos de um time forte, macho e vencedor
2009 - Merecemos alegrias, mais alegrias
2009 - Não importa o santo deles...
2009 - Confesso que chorei
2009 - Petraglismo? Prefiro Atleticanismo
2009 - Atlético: matar ou morrer!
2009 - Sem-vergonha; é esse o futebol e o país que queremos?
2009 - Vencer é uma questão de honra
2010 - A torcida não merecia apanhar da PM
2010 - Copa e Arena. O Atlético está certo.
2010 - A coragem necessária do Atlético
2010 - Arena pode receber dinheiro público, sim!
2010 - Atleticano. Na alegria e na tristeza.
2010 - Precisamos de fé e de amor
2010 - Se nossos políticos fossem machos
2011 - Paulo Baier. Indispensável
2011 - Atlético do meu coração, você é um tesão
2011 - Pai, eu não quero mais ir no jogo do Atlético
2011 - A fogueira da vaidade de um cartola oportunista
2011 - Somos todos atleticanos
2011 - Eu amo o nosso Atlético
2011 - Acima dos candidatos está o futuro do Atlético
2012 - Falta respeito
2012 - Até quando vamos esperar?
2013 - O que deseja Petraglia?
2013 - Petraglia não respeita os sócios, nem a torcida
2013 - O que queremos do nosso Atlético?
2013 - A nossa paixão atleticana
2013 - Arena da Baixada. Um Caldeirão sem fogo
2013 - Nossa paixão nos une e nossa união nos fortalece
2013 - De quem é a culpa?
2013 - Os vendilhões do Atlético
2013 - Funcap dominará a grande receita de comunicação de marketing do Atlético
2013 - Renuncie, Petraglia!
2014 - Perguntar não ofende. � marmelada?
2014 - Ele pode até ser vitalício, mas jamais será eterno
2014 - Lições de uma derrota e o futuro
2014 - Até quando?
2014 - Não posso mais ir à Arena da Baixada
2014 - Quando vamos reagir?
www.furacao.com | 28-04-2017

Felipe Melo é um jogador que não passa despercebido. Completando 100 dias de Palmeiras nesta quinta-feira, o volante já acumula momentos marcantes dentro e fora de campo em seu retorno ao futebol brasileiro. Aos 33 anos, consolidou seu papel como um dos líderes do time paulista, seja através do papel tático de proteção à zaga e apoio na saída de bola ou pela atitude de não medir palavras.

LEIA TAMBÉM: Artigo: Será que ainda há técnicos que não sejam maleáveis?

Libertadores - 27.04

Na noite de quarta-feira, após uma importante vitória do Palmeiras fora de casa pela Libertadores, contra o Peñarol, Felipe Melo esteve no centro de uma briga generalizada. Acuado por jogadores adversários, o brasileiro se defendeu com um soco.

Foi acusado por dirigentes do clube uruguaio de incitar uma confusão com reflexos na arquibancada. Entre os brasileiros, especialmente os torcedores do Palmeiras, foi tratado como exemplo de resistência, de alguém que não se dobrou à costumeira violência em jogos sul-americanos.

Fato é que, no Palmeiras de Eduardo Baptista, Felipe Melo vem tendo papel de destaque desde sua apresentação, em 17 de janeiro. Lembre alguns momentos do volante no clube paulista:

'Tapa na cara de uruguaio'

Logo em sua primeira entrevista coletiva no Palmeiras, Felipe Melo já mostrou que não esquecido as declarações fortes na Europa, após deixar a Internazionale de Milão. Perguntado sobre a fama de jogador que se envolvia em confusões, o volante se defendeu.

- O Felipe Melo não é só porrada, é técnica também. Isso que me fez ficar na Europa 12 anos. Se tiver que dar porrada, vou dar porrada. Se tiver que dar tapa na cara de uruguaio, vou dar. Pode ter certeza que se vier mano a mano e eu tiver que dar porrada - disse o jogador.

A declaração soou como uma espécie de profecia após a partida desta quarta-feira em Montevidéu.

Briga generalizada: Palmeiras x Peñarol

Recado para jornalistas

Na sua apresentação, Felipe Melo também mostrou personalidade forte para lidar com críticas. Quando foi questionado sobre a conturbada relação com a imprensa ao longo da carreira, especialmente após ser expulso na eliminação do Brasil na Copa do Mundo de 2010, o volante avisou que seria "bem sincero". E foi:

Felipe Melo e imprensa

Grito e abraço em adversário

A estreia de Felipe Melo no Palmeiras aconteceu em 5 de fevereiro, no Campeonato Paulista, contra o Botafogo-SP. O Palmeiras venceu por 1 a 0 e o volante ficou em campo durante os 90 minutos. Quando Samuel Santos, do Botafogo-SP, tentou dar um chapéu em Felipe Melo, o volante "marcou território": além de fazer o desarme, vibrou bem próximo ao rosto do adversário, que estava caído.

A cena evocou em muitos a imagem de "valentão" comumente associada a Felipe Melo. Depois do jogo, no entanto, houve um momento que trouxe imagem oposta, de clima amistoso e tranquilidade: Felipe e Samuel Santos trocaram um abraço amigável na saída de campo. O próprio jogador do Botafogo-SP mostrou admiração pelo rival e frisou que eventuais desentendimentos são normais dentro de campo.

Samuel Santos e Felipe Melo

Titular absoluto e demonstração de raça

Embora não carregue a braçadeira de capitão, Felipe Melo não demorou a se consolidar como um dos líderes do elenco, tratado como peça indispensável pelo técnico Eduardo Baptista. Desde sua estreia, em fevereiro, o jogador fez 17 partidas, todas como titular. Foi substituído apenas quatro vezes.

O número de cartões amarelos não é baixo: foram oito, quase um a cada dois jogos. Mas Felipe Melo também apareceu no ataque: marcou dois gols, e vem se destacando como ponto de apoio na saída de bola palmeirense, seja formando triangulações no meio-campo ou desafogando a defesa com inversões de jogo.

A extrema disposição exiba em campo com a bola nos pés também aparece, é claro, sem ela. E já houve consequências desagradáveis: em seu primeiro clássico, contra o Corinthians, o excesso de vontade rendeu a Felipe Melo um corte profundo e 20 pontos no supercílio após choque de cabeça com Mina, seu companheiro de equipe.

Felipe Melo: corte no supercílio

Resposta dura contra racismo

No primeiro jogo contra o Peñarol, em São Paulo, há duas semanas, Felipe Melo já havia se envolvido em polêmica com jogadores uruguaios. O volante do Palmeiras acusou o meia Gastón Rodriguez de proferir termos racistas, chamando-o de "macaco" ao longo da partida.

A resposta de Felipe, como sempre, fugiu ao tradicional:

- Sou preto mesmo, acho que ele deve ter algum problema, a mulher dele já teve ter traído ele com algum negão, alguma coisa assim. De repente, se fosse o Felipe de algum tempo atrás, eu já virava um socão nele, ou alguma coisa assim. Mas ainda bem, Deus tem me regenerado, tenho aprendido muito. Estou controlando mais o meu ânimo e isso eu pude provar hoje - disse o jogador.

oglobo.globo.com | 27-04-2017

Kaiser é um apelido que, para alguns — incluindo Carlos Henrique Raposo, o dono da honraria —, traça paralelo com o porte do alemão Franz Beckenbauer, campeão mundial pela Alemanha. Há quem aponte uma comparação menos pomposa, aproximando a forma física do apelidado com uma garrafa de cerveja.

Fato é que a trajetória do Kaiser brasileiro, que jogou pelos quatro clubes grandes do Rio e também rodou pela Europa sem nunca ser de fato jogador de futebol, sublima a ambiguidade do malandro. E se os brasileiros até hoje tentam decidir entre fascínio e constrangimento, uma ajuda externa chegará em breve, através das telas de cinema: o documentário "Kaiser: The greatest footballer never to have played football" ("Kaiser: o melhor jogador que nunca jogou futebol", em tradução livre).

O filme é dirigido pelo britânico Louis Myles, que trabalhou como produtor para os canais BBC em eventos como os Jogos Olímpicos de Londres-2012 e a Copa do Mundo de 2014. É o segundo longa-metragem de Myles, que lançou em 2014 o documentário "An Alternative Reality: The Football Manager Documentary", sobre o apelo exercido pelo game "Football Manager" ao redor do mundo.

"Kaiser: The greatest footballer never to have played football" mergulha na história de Carlos "Kaiser", personagem que fez carreira no futebol forjando uma imagem de jogador que tinha pouca (ou nenhuma) base em qualidade técnica. Kaiser, que começou no Botafogo, conseguia contratos a partir da amizade com outros jogadores, ou simplesmente vendendo gato por lebre a dirigentes de clubes — e depois usando artimanhas para evitar ser descoberto.

Quando assinou com o Bangu na década de 80, arrumou briga com torcedores e foi expulso quando aquecia para entrar em campo. Alegou que tinha ouvido xingamentos ao bicheiro Castor de Andrade, presidente de honra do clube. Em vez de punido, acabou ganhando extensão do contrato pela aparente prova de fidelidade.

O interesse pela trajetória insólita uniu Myles e um grupo de produtores do Reino Unido. Nenhum deles tinha vindo ao Brasil antes dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014. Eram tempos em que o boom econômico e a atenção internacional pareciam conduzir a uma renovação dos costumes que, especialmente nos anos 80 e 90, haviam criado uma imagem romântica do país, embora nem sempre positiva.

— Quando conversei com Tim Vickery (correspondente da BBC no Brasil), ele me disse que esta era a melhor história que já tinha ouvido do Brasil, não só no esporte. Há outros casos de jogadores que enganaram clubes por algum tempo, mas com o Kaiser foram 26 anos — observa Myles. — Para um gringo, é mais difícil entender esse tipo de coisa. As pessoas no Brasil são muito receptivas e amigáveis, exceto quando alguém de fora começa a fazer muitas perguntas sobre a malandragem. O próprio Kaiser pediu que não fosse chamado de '171'.

JEITINHO CARIOCA

Hoje com 54 anos e longe do futebol, Kaiser deu entrevista para o documentário, cujas filmagens tiveram início em 2015. O próprio diretor admite que não pôde confiar em tudo que ouviu. O ex-jogador, no entanto, virou mais do que mero personagem para Myles e sua equipe, com quem desenvolveu uma relação de cumplicidade. Nada surpreendente: foi o bom relacionamento de Kaiser com então craques do futebol carioca, como Bebeto e Renato Gaúcho, o que lhe abriu algumas portas.

— Quase todos com quem falamos mostraram muito afeto pelo Kaiser. Todas as pessoas gostam desses personagens românticos, cheios de personalidade. São histórias que poderiam acontecer em qualquer lugar, desde que exista certo contexto. Kaiser é de uma época em que os grandes jogadores brasileiros não iam para a Europa, mas jogavam no Rio. Os estádios enchiam mais, havia uma atmosfera apaixonante em torno do futebol — avalia Tom Markham, especialista em finanças do futebol que, atraído pela história de Kaiser, virou produtor do documentário.

Para se aproximar de Kaiser, Myles aprendeu a falar português e também se adaptou ao jeitinho carioca. O diretor frisa que o foco de seu filme é a história do jogador — inclusive, ele garante, com detalhes inéditos —, mas avalia que seria impossível apresentá-la sem entender o contexto brasileiro.

Até começar a filmar, eu não fazia ideia que a malandragem era algo tipicamente carioca. Pessoalmente, gosto da celebração do malandro. É como se as pessoas tivessem que ter algo assim para lidar com o dia a dia difícil

Myles lembra que nos tempos de futebol de Kaiser, com moeda instável e turbulência política, o abismo entre pobres e ricos era visto como mais intransponível do que parecia no início da década atual. Depois de viajar sucessivas vezes ao Brasil desde a Copa de 2014, ele diz ser visível uma regressão de expectativas e "erosão da confiança".

— Não vejo como um problema unicamente do Brasil, mas aqui é sentido de forma diferente pela expectativa que havia surgido — pondera Myles. — Até começarem as filmagens, eu não fazia ideia que a malandragem era algo tipicamente carioca. Pessoalmente, gosto da celebração do malandro. No Reino Unido, por exemplo, há um encanto pela anarquia do movimento punk. É como se as pessoas tivessem que ter algo assim para lidar com o dia a dia difícil. Mas há consequências em agir dessa forma.

Além de entrevistas, "The Kaiser" contará com algumas partes encenadas. Kaiser, por exemplo, será interpretado pelo ator gaúcho Eduardo Lara. O filme está em fase final de gravações, que devem ser concluídas no início de maio. A previsão é de lançamento em setembro, com versões narradas em inglês e português.

— Eu tive que dramatizar algumas coisas porque basicamente não existem filmagens do Kaiser — conta o diretor. — Por outro lado, acho que se eu entregasse um filme todo atuado, ninguém acreditaria na história.

oglobo.globo.com | 26-04-2017

Kaiser é um apelido que, para alguns — incluindo Carlos Henrique Raposo, o dono da honraria —, traça paralelo com o porte do alemão Franz Beckenbauer, campeão mundial pela Alemanha. Há quem aponte uma comparação menos pomposa, aproximando a forma física do apelidado com uma garrafa de cerveja.

Fato é que a trajetória do Kaiser brasileiro, que jogou pelos quatro clubes grandes do Rio e também rodou pela Europa sem nunca ser de fato jogador de futebol, sublima a ambiguidade do malandro. E se os brasileiros até hoje tentam decidir entre fascínio e constrangimento, uma ajuda externa chegará em breve, através das telas de cinema: o documentário "The Kaiser", do diretor britânico Louis Myles.

O documentário mergulha na história de Carlos "Kaiser", personagem que fez carreira no futebol forjando uma imagem de jogador que tinha pouca (ou nenhuma) base em qualidade técnica. Kaiser, que começou no Botafogo, conseguia contratos a partir da amizade com outros jogadores, ou simplesmente vendendo gato por lebre a dirigentes de clubes — e depois usando artimanhas para evitar ser descoberto.

Quando assinou com o Bangu na década de 80, arrumou briga com torcedores e foi expulso quando aquecia para entrar em campo. Alegou que tinha ouvido xingamentos ao bicheiro Castor de Andrade, então presidente do clube. Em vez de punido, acabou ganhando extensão do contrato pela aparente prova de fidelidade.

O interesse pela trajetória insólita uniu Myles e um grupo de produtores do Reino Unido. Nenhum deles tinha vindo ao Brasil antes dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014. Eram tempos em que o boom econômico e a atenção internacional pareciam conduzir a uma renovação dos costumes que, especialmente nos anos 80 e 90, haviam criado uma imagem romântica do país, embora nem sempre positiva.

— Quando conversei com Tim Vickery (correspondente da BBC no Brasil), ele me disse que estaera a melhor história que já tinha ouvido do Brasil, não só no esporte. Há outros casos de jogadores que enganaram clubes por algum tempo, mas com o Kaiser foram 26 anos — observa Myles. — Para um gringo, é mais difícil entender esse tipo de coisa. As pessoas no Brasil são muito receptivas e amigáveis, exceto quando alguém de fora começa a fazer muitas perguntas sobre a malandragem. O próprio Kaiser pediu que não fosse chamado de '171'.

JEITINHO CARIOCA

Hoje com 54 anos e longe do futebol, Kaiser deu entrevista para o documentário, cujas filmagens tiveram início em 2015. O próprio diretor admite que não pôde confiar em tudo que ouviu. O ex-jogador, no entanto, virou mais do que mero personagem para Myles e sua equipe, com quem desenvolveu uma relação de cumplicidade. Nada surpreendente: foi o bom relacionamento de Kaiser com então craques do futebol carioca, como Bebeto e Renato Gaúcho, o que lhe abriu algumas portas.

— Quase todos com quem falamos mostraram muito afeto pelo Kaiser. Todas as pessoas gostam desses personagens românticos, cheios de personalidade. São histórias que poderiam acontecer em qualquer lugar, desde que exista certo contexto. Kaiser é de uma época em que os grandes jogadores brasileiros não iam para a Europa, mas jogavam no Rio. Os estádios enchiam mais, havia uma atmosfera apaixonante em torno do futebol — avalia Tom Markham, especialista em finanças do futebol que, atraído pela história de Kaiser, virou produtor do documentário.

Para se aproximar de Kaiser, Myles aprendeu a falar português e também se adaptou ao jeitinho carioca. O diretor frisa que o foco de seu filme é a história do jogador — inclusive, ele garante, com detalhes inéditos —, mas avalia que seria impossível apresentá-la sem entender o contexto brasileiro.

Até começar a filmar, eu não fazia ideia que a malandragem era algo tipicamente carioca. Pessoalmente, gosto da celebração do malandro. É como se as pessoas tivessem que ter algo assim para lidar com o dia a dia difícil

Myles lembra que nos tempos de futebol de Kaiser, com moeda instável e turbulência política, o abismo entre pobres e ricos era visto como mais intransponível do que parecia no início da década atual. Depois de viajar sucessivas vezes ao Brasil desde a Copa de 2014, ele diz ser visível uma regressão de expectativas e "erosão da confiança".

— Não vejo como um problema unicamente do Brasil, mas aqui é sentido de forma diferente pela expectativa que havia surgido — pondera Myles. — Até começarem as filmagens, eu não fazia ideia que a malandragem era algo tipicamente carioca. Pessoalmente, gosto da celebração do malandro. No Reino Unido, por exemplo, há um encanto pela anarquia do movimento punk. É como se as pessoas tivessem que ter algo assim para lidar com o dia a dia difícil. Mas há consequências em agir dessa forma.

Além de entrevistas, "The Kaiser" contará com algumas partes encenadas. Kaiser, por exemplo, será interpretado pelo ator gaúcho Eduardo Lara. O filme está em fase final de gravações, que devem ser concluídas no início de maio. A previsão é de lançamento em setembro, com versões narradas em inglês e português.

— Eu tive que dramatizar algumas coisas porque basicamente não existem filmagens do Kaiser — conta o diretor. — Por outro lado, acho que se eu entregasse um filme todo atuado, ninguém acreditaria na história.

oglobo.globo.com | 26-04-2017
w3architect.com | hosting p2pweb.net
afromix.org | afromix.info | mediaport.net | webremix.info