i
Français | English | Español | Português

Eslováquia Economia

A vitória por 3 a 0 sobre o Paraguai na noite de terça-feira colocou a seleção brasileira em posição privilegiada: é a primeira a conquistar vaga na Copa do Mundo de 2018 via eliminatórias. Além do Brasil, somente a Rússia já está garantida, por ser país-sede.

LEIA TAMBÉM: Após vaga na Copa, Tite abre nova etapa de trabalho na seleção

Outras potências do futebol mundial estão perto de se juntar ao Brasil no grupo das classificadas. Há, por outro lado, grandes seleções que mostram dificuldades, enquanto algumas candidatas a surpresa não engataram e podem dar lugar a outras zebras.

Veja como estão as eliminatórias da Copa pelo mundo:

- EUROPA

As eliminatórias do Velho Continente estão somente na metade, restam ainda cinco partidas em cada um dos nove grupos. Algumas seleções, no entanto, já despontam como fortes candidatas à liderança de suas chaves, o que garante vaga direta na Copa de 2018 - os oito melhores segundos colocados disputam uma repescagem entre si para decidirem outras quatro vagas.

A Alemanha, por exemplo, lidera o Grupo C com 15 pontos, cinco a mais que a vice-líder Irlanda do Norte. Quem também aparece em boa situação é a Inglaterra, líder do Grupo F com quatro pontos de gordura para a Eslováquia. A maior vantagem, no entanto, é da Polônia: seis pontos à frente da vice-líder Montenegro no Grupo E.

Se os ventos não mudarem drasticamente, estas seleções podem carimbar passaporte para a Rússia até setembro, quando acontece a antepenúltima rodada da eliminatória da Europa.

Quem vai mal das pernas é a Holanda: derrotada pela Bulgária no sábado, a seleção holandesa soma 7 pontos. É apenas a quarta colocada no Grupo A, liderado pela França (13).

Entre as candidatas a surpresa da vez, País de Gales é a principal decepção até aqui. A seleção de Gareth Bale está em terceiro no Grupo D com 7 pontos, quatro a menos que Sérvia e Irlanda. Precisa correr atrás do prejuízo já na próxima rodada, em junho, para não correr risco de ficar fora até da repescagem.

- AMÉRICAS DO NORTE E CENTRAL

O hexagonal final mal começou, mas já indica mais uma classificação do México: a seleção lidera com folga e permanece a única invicta nesta fase, com 10 pontos em quatro jogos. A vice-liderança é da Costa Rica, que foi a grande surpresa da Copa do Mundo do Brasil ao chegar às quartas de final e parece confirmar a boa fase: tem sete pontos.

Quem ainda não engatou na fase decisiva é a seleção dos EUA, que ocupa apenas a quarta colocação. Na rodada de terça-feira, os americanos não passaram de um empate com o Panamá, que busca sua primeira participação em uma Copa do Mundo. Por enquanto os panamenhos estão conseguindo: ocupam a terceira posição, a última que garante vaga direta na Rússia, com cinco pontos.

Os americanos, por sua vez, aparecem em quarto com quatro pontos. Hoje, teriam que disputar a repescagem contra uma seleção da Ásia.

- ÁSIA

Nada de Japão ou Coreia do Sul: quem está mais perto de ser a primeira seleção asiática a garantir vaga na Copa de 2018 é o Irã. Líder do Grupo 1 com 17 pontos, precisa apenas de uma vitória em casa contra o Uzbequistão na próxima rodada, em junho, para carimbar o passaporte.

Coreia do Sul e Japão também vão bem, por sinal: estão na zona de classificação de seus respectivos grupos. Quem pode acabar ficando na repescagem é a Austrália, que marcou presença nas últimas três Copas. Com 13 pontos, os australianos são superados atualmente por Japão e Arábia Saudita, ambos com 16, a três rodadas do fim.

A repescagem da Ásia envolve os dois terceiros colocados de cada grupo - atualmente, Austrália e Uzbequistão. Quem vencer ainda tem que enfrentar um representante da América do Norte ou Central pela vaga na Copa.

Apesar dos investimentos recentes em futebol, a China deve amargar mais uma decepção em eliminatórias. Os chineses ocupam a penúltima posição do Grupo 1, com cinco pontos.

- ÁFRICA

Nada de repescagem ou segunda chance para vice-líderes: na África, somente os líderes de cada grupo com quatro seleções avançam à Copa do Mundo. Com apenas duas rodadas disputadas, a briga está embolada em quase todos.

A situação mais confortável é a da Nigéria, líder do Grupo B com seis pontos, quatro a mais que o vice Camarões. Os nigerianos ficam com a mão na vaga caso vençam os camaronenses na próxima rodada, em agosto.

Quem corre sério risco de ficar fora da Copa de 2018 é Gana, seleção que despontou nos últimos anos como a principal potência africana em Copas do Mundo - ficou perto de uma histórica e inédita semifinal em 2010. Os ganeses somam apenas 1 ponto no Grupo E, liderado pelo Egito, que tem seis pontos.

- OCEANIA

O continente briga por apenas uma vaga na Copa do Mundo, e mesmo assim não tem nada garantido: o vencedor das eliminatórias joga repescagem contra o quinto colocado da América do Sul para decidir quem vai à Rússia em 2018.

Na fase atual, os líderes de dois grupos disputarão um mata-mata que decidirá o representante na Rússia. Tudo indica que a briga ficará entre Nova Zelândia e Taiti, em novembro deste ano.

A última vez dos neozelandeses em um Mundial foi em 2010, na África do Sul, quando acumularam três empates e terminaram à frente da Itália, em um grupo que também tinha Paraguai e Eslováquia.

oglobo.globo.com | 29-03-2017

Na economia da Eslováquia, a agricultura representa muito pouco na economia nacional. As culturas dominantes são o trigo, a cevada, a aveia, o milho, o centeio, a beterraba, a batata, o linho, o tabaco, os frutos e os legumes. A exploração mineira é o sector mais desenvolvido do país e abrange o ferro, o cobre, a magnesite, o chumbo e o zinco. A indústria produz aço, plásticos, materiais de construção, fertilizantes, produtos alimentares, bebidas e tecidos. Os principais parceiros comerciais da Eslováquia são a República Checa, a Rússia, a Alemanha e a Áustria. Em 2006 a China tornou-se um grande parceiro (mais de 20%) para as exportações do país. O país enfrentou dificuldades na transição de uma economia socialista para a economia de mercado. Atualmente grande parte das empresas e dos bancos já está nas mãos de estrangeiros. A Eslováquia adotou o Euro como moeda a 1 de Janeiro de 2009.


De dbpedia, licença creative commons CC-BY-SA
w3architect.com | hosting p2pweb.net
afromix.org | afromix.info | mediaport.net | webremix.info